Daki Semiárido Vivo

SISTEMA FAMILIAR DE PASTEURIZAÇÃO DO LEITE: O CASO DA PROVÍNCIA DE FORMOSA

Voltar para a lista de iniciativas SISTEMA FAMILIAR DE PASTEURIZAÇÃO DO LEITE: O CASO DA PROVÍNCIA DE FORMOSA
  • Categorias: Inovação e organização socialInovação e organização social,Inovacción y organización social,Produção Biodiversa,Producción Biodiversa
  • Tipo: Experiências Sistematizadas
  • Região: Gran Chaco Americano
  • Idiomas: Português
  • Identidade: Comunidades Tradicionais
  • Resumo: A comercialização informal de leite líquido representa um risco significativo para a saúde da população argentina. A maior parte do comércio desse produto responde às necessidades dos pequenos(as) produtores(as) que, por diversos motivos, (baixa escala, isolamento, pouca rentabilidade, entre outras) não têm acesso ao equipamento necessário para garantir a sanidade e segurança do alimento que oferecem. O Sistema Familiar de Pasteurização do Leite é apresentado como uma solução inovadora para essa problemática, que possibilita o processamento da produção de pequenos estábulos cumprindo os requisitos sanitários para sua comercialização formal. Esse sistema tem vários setores: uma sala de manejo, uma pasteurizadora e práticas de manejo leiteiro. A pasteurizadora, como inovação específica, tem um equipamento elétrico modular, de operação descontinuada, para o processamento em pequena escala de leite cru embalado, a baixa temperatura e longa exposição. Tem capacidade para processar 100 litros por dia, divididos em saquinhos de 1 litro. Trata-se de um sistema recentemente implementado, disponível desde o final do ano de 2020, com um total de 13 exemplares a serem fornecidos. Três equipamentos foram enviados para a região do Chaco: duas famílias da província de Formosa e uma organização da província de Santa Fé. Nesta sistematização, o foco da análise corresponde à província de Formosa que, até a data da redação deste documento, é a mais avançada na implementação da experiência e apresenta aprendizagens para escalar e reaplicar a iniciativa no semiárido do Chaco.
  • PDF: Download