O Biodigestor é uma tecnologia social de baixo custo e facilidade de manutenção e manejo que transforma o esterco animal em biogás, substituindo o gás de cozinha e também gera fertilizante para os solos.

O Biodigestor é uma tecnologia social que gera biogás para populações rurais, utilizando recurso locais para seu funcionamento. Tem baixo custo de implantação e fácil de manutenção e manejo. No biodigestor, o biogás é produzido através do esterco animal, que substitui a compra do botijão de gás de cozinha, ele também gera fertilizante para os solos, contribuindo para o plantio e produção de alimentos, e para convivência com o Semiárido. Sua implantação gera benefícios econômicos, ambientais, produtivos e de saúde. Seu uso contribui para a autonomia financeira das famílias, com a economia da compra do gás de cozinha;, e com a preservação ambiental, pois diminui a extração da lenha, à exemplo da caatinga no Semiárido brasileiro.

COMO FUNCIONA

“O uso do Biodigestor contribui para a autonomia financeira das famílias e com a preservação ambiental”.

Para seu funcionamento, o biodigestor é estruturado por uma caixa de carga, um tanque de fermentação,  onde também fica o local de armazenamento do biogás e uma caixa de descarga. Diariamente deve ser alimentado com esterco animal, seja de bovinos, caprinos, suínos ou aves, que devem ser misturados à água. Esse esterco é o que abastece a tecnologia, e fermentado produz o biogás. Ele também gera o biofertilizante e o adubo, esterco curtido, que podem ser usados na adubação da produção de alimentos. O biogás produzido é higiênico, não gera fumaça e não deixa resíduos nas panelas ao cozinhar.

A caixa de carga é alimentada pelo esterco dos animais misturados com água. A mistura do esterco com água abastece o tanque de fermentação, onde é produzido e armazenado o biogás.

O biogás segue pela encanação para o fogão quando o registro é aberto.

Na caixa de descarga é eliminado  o biofertilizante.

Misturado à água, o biofertilizante pode ser usado na plantação para adubação. A caixa de descarga também produz o adubo, que é novamente o esterco, mas agora curtido, que melhora fertilidade do solo.

O Biodigestor trabalha com uma pressão menor do que a do gás de cozinha, por isso, é necessário adaptar  fogões convencionais para trabalhar com o biogás. O processo simples e de fácil instalação. O fogão bem adaptado é mais eficiente na queima do biogás e produz mais calor.

COMO MUDA A VIDA

O Biodigestor contribui com a redução da emissão de gases do efeito estufa e protege a saúde das pessoas através da eliminação da fumaça e da fuligem do carvão”.

O Biodigestor é uma tecnologia social adaptada às pequenas propriedades rurais. Seu baixo custo a torna economicamente viável, além de gerar economia financeira, pois elimina a necessidade de compra do gás de cozinha. Também evita o desmatamento ambiental, que reflete na diminuição dos índices de desertificação. Contribui com a redução da emissão de gases do efeito estufa e protege a saúde das pessoas através da eliminação da fumaça e da fuligem do carvão. Além disso, traz benefícios para a criação animal, pois com o desabastecimento diário do esterco dos currais, aumenta os índices de sanidade animal.  .

  • O Biodigestor gera autossuficiência energética para as famílias que o acessam, garantindo o gás de cozinha diariamente para preparo da alimentação;
  • Com o uso do Biodigestor, é possível ter uma economia financeira que elimina a necessidade de compra do botijão de gás de cozinha;
  • Com a economia financeira, a família pode investir em outra atividade ou área;
  • Contribui para a preservação ambiental, diminuindo a extração de lenha, a exemplo do Semiárido brasileiro em que preserva o bioma caatinga;
  • O uso do biogás contribui para a saúde família, especialmente de mulheres, que em geral são responsabilizadas pelo trabalho doméstico, e  das crianças, pois não gera fumaça;
  • O gás metano liberado pela decomposição natural do esterco animal não é mais lançado na atmosfera, pois é queimado no fogão;
  • A criação de pequenos animais é fortalecida;
  • O plantio e a produção de alimentos também é fortalecida com o uso do biofertilizante;
  • Contribui para a sanidade animal, reduzindo as infestações dos animais por verminoses e moscas.

COMO FAZER

Sua construção deve ser feita próximo a cozinha, entre 15 a 25 metros de distância, para facilitar a conexão com o fogão. O terreno onde deve ser implementado deve ter um pequeno declive, para facilitar a eficiência das caixas de carga e de descarga. Deve estar instalado no fogão.

COMO CUIDAR

É necessário ter atenção a estrutura do Biodigestor, se está em pleno funcionamento, e fazer ajustes sempre que necessário. Cuidado especial para vazamentos de gás. Também é preciso ter atenção aos níveis de temperatura, teor de umidade e acidez. Em geral, as condições do Semiárido à fermentação do gás é bem eficiente e, se abastecido no início da manhã, no final da manhã já é possível ter forte produção de biogás.

Cuidados para a manutenção e no uso

  • É necessário ter atenção ao local onde será instalado, observando se não há raízes de árvore mais profundas, que podem causar a furos que gerem vazamentos no tanque de fermentação;
  • Observar que as chamas no fogão devem ter cor azul e não conter cheiro;
  • É necessário sempre ter atenção a possíveis vazamentos entre o garrafão de armazenamento do gás e o fogão, para que sejam tampados na mangueira ou fazer troca do material;
  • A criação de animais é importante para que o Biodigestor possa ser alimentado diariamente com o esterco, gerando o biogás;
  • O esterco que abastece o Biodigestor não deve estar seco. Ele deve ser misturado a água em uma proporção de 10 quilos de esterco diluídos em dez litros de água;
  • Depois de passar pelo Biodigestor o esterco vira novamente fertilizante  e pode ser aplicado no adubo do plantio;
  • Caso o fogão esteja funcionando e em alguns instantes deixar de funcionar ou começar a falhar, deve ser água na encanação. Observe a mangueira que fica próximo ao fogão e próximo ao biodigestor, pois dá para visualizar a água. Retire a mangueira do fogão e deixe que a água saia. Depois é só encaixar novamente no fogão e está pronto para uso.