Daki Semiárido Vivo

Cisterna de placas que capta e armazena água das chuvas para consumo humano. É água para beber e cozinhar o ano inteiro.

A cisterna de placas de 16 mil litros é uma proposta simples, eficiente e de baixo custo de estoque e descentralização dos recursos hídricos. Com ela, as populações das regiões semiáridas não necessitam caminhar por longas distâncias em busca de água potável, pois está ao lado da casa. Seu volume é suficiente para abastecer uma família de até cinco pessoas no período de estiagem que, no Semiárido brasileiro, pode chegar a oito meses. A água é coletada através do telhado das casas e seu uso é prioritário para o consumo humano, como beber e cozinhar.

COMO FUNCIONA

É possível conviver com o semiárido.

A experiência da construção de cisternas de 16 mil litros no Brasil comprovou que, com uma gestão eficiente dos recursos naturais, é possível conviver com o Semiárido, mesmo nos períodos de estiagem. E foi assim que a Articulação Semiárido Brasileiro (ASA) consolidou a proposta do Programa Um Milhão de Cisternas, que descentraliza água pela região semiárida do Brasil.

COMO MUDA A VIDA

De um milhão de mortos para um milhão de cisternas com água de qualidade, que gera vida.

A água de beber é um elemento essencial à vida. Com a água ao lado das casas, a população do Semiárido acessa esse direito humano e conquista autonomia e liberdade para fazer sua a gestão, sem depender de outras fontes. É a democratização do acesso à água que passa a ser realidade em regiões onde o clima e as condições ambientais sempre foram colocadas como à causa para a falta de água. E de forma prática causa transformações nas vidas das pessoas.

  • Com acesso à água, as famílias têm autonomia na gestão e uso de seus recursos hídricos;
  • As cisternas contribuem na segurança hídrica e alimentar das populações, pois suprem a necessidade da água de boa qualidade para beber e cozinhar;
  • Á água de qualidade contribui para diminuição de doenças, como a diarreia ou até a mortalidade infantil;
  • Mulheres e crianças são populações impactadas diretamente com essa realidade, pois não necessitam mais caminhar durante horas em busca de água, muitas vezes não adequada ao consumo;
  • Mulheres e crianças são populações impactadas diretamente com essa realidade, pois não necessitam mais caminhar durante horas em busca de água, muitas vezes não adequada ao consumo.

  • Uma pessoa pode caminhar até 36 dias por ano em busca de água, no Semiárido brasileiro. Fonte: Centro de Pesquisa Tecnológica do Semiárido (CPTSA).

Como fazer

Ao longo das últimas décadas as famílias desenvolveram e aprimoraram o método de construção das cisternas de 16 mil litros. No passo-a-passo a seguir o processo de construção será apresentado em detalhes, com dicas e recomendação de boas práticas.

COMO CUIDAR

Para manter a cisterna em pleno funcionamento, são necessários alguns cuidados permanentes com a sua estrutura. Mas também deve ser feito o tratamento da água da antes de ser consumida. Isso garante uma gestão mais eficiente dos recursos hídricos e  a garantia de água de qualidade o ano todo.

Cuidados para a manutenção da estrutura

  • A estrutura externa da cisterna deve estar sempre pintada com cal branca, para que se evite a formação de fungos;
  • O telhado da casa, as calhas e os canos devem ser lavados todos os anos;
  • A cisterna deve ser lavada internamente anualmente, usando um (01) litro de água sanitária para cada cinco (05) litros de água pura;
  • Todas as entradas de água da cisterna devem ser protegidas com uma tela e um pano fino, evitando a entrada dos resíduos ou pequenos animais;
  • Os canos de PVC, que levam as águas do telhado para a cisterna, devem ser guardados no período de estiagem para evitar que rachem ao longo do ano.
 

Cuidados na gestão da água

  • A água das primeiras chuvas deve ser descartada e não ir diretamente para a cisterna, pois podem conter sujeira dos telhados;
  • A água da cisterna deve ser utilizada apenas para o consumo humano, como beber e cozinhar, e assim suprir a necessidade da família até a chegada de novas chuvas;
  • A cisterna deve estar sempre bem tampada e a água deve ser retirada para uso sempre através da bomba manual de sucção;
  • Recipientes, como baldes, não devem ser colocados dentro da cisterna;
  • A água que vai ser consumida também deve ser tratada, usando hipoclorito de sódio ou água sanitária.
 

Onde podemos encontrar?

Brasil, Argentina, Bolívia.

Referências

Modelo da Tecnologia Social e Acesso à Água No 01 – Programa Nacional de Apoio à Captação de Água de Chuva e Outras Tecnologias Sociais de Acesso à Água – Programa Cisternas. 2017.