Dona Josefa sentada em uma cadeira
29 de agosto de 2022

Dona Josefa é uma referência na temática dos quintais produtivos. De Poço Redondo, no Sergipe, há mais de 20 anos ela iniciou o trabalho com as hortaliças, e há 19 anos comercializa em feiras locais. Ela é também guardiã de sementes crioulas.

A história de Dona Josefa é a de muitas outras mulheres que têm um protagonismo na preservação e multiplicação da biodiversidade.  Em geral, elas desempenham esta tarefa ao redor de suas casas, nos quintais produtivos. 

Os quintais produtivos* possuem a função de reservatórios de biodiversidade, são o lugar de perpetuação das espécies e também em que novas espécies de plantas são testadas e experimentadas, selecionadas e melhoradas. 

Ao longo dos anos, as espécies dos quintais produtivos são utilizadas para diversas atividades e cultivadas perto das áreas de moradia. Isso ajudou a reduzir esforços com transporte dos materiais. 

É dos quintais que sai boa parte da alimentação da família e, em muitos casos, também dos produtos comercializados. É um local de trabalho e experimentação de forma autônoma da mulher. Eles também oferecem benefícios culturais associados aos valores estéticos, medicinais, espirituais, religiosos e educacionais. 

Conheça o quintal produtivo de Dona Josefa:

Quintais produtivos na Biblioteca DAKI

A experiência com os quintais produtivos de Dona Josefa é uma das 55 sistematizadas pelo projeto DAKI – Semiárido Vivo. O projeto selecionou experiências de agricultores resilientes ao clima de três regiões semiáridas da América Latina (Corredor Seco Centroamericano, Grande Chaco Americano e Semiárido Brasileiro).

Os materiais estão disponíveis na biblioteca do nosso site.

*Fontes de pesquisas consultadas: CARDOSO, LOPES et al, 2021; ASA, 2014.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.