Agricultor de Canasta campesina pone alimenentos en las canastas
20 de setembro de 2022

Modelo inovador para a produção e comercialização de alimentos saudáveis.

A Canasta Campesina é uma iniciativa dos agricultores do município de Comasagua, estado de La Libertad, El Salvador, que cultivam e comercializam hortaliças e frutas orgânicas. 

A iniciativa surgiu em resposta aos efeitos das mudanças climáticas, pois Comasagua é uma área vulnerável, onde os desastres naturais afetavam seriamente os habitantes, especialmente as famílias camponesas que frequentemente sofrem perdas de suas colheitas.

Outra desvantagem para as famílias camponesas de Comasagua era a falta de diversidade em suas culturas. O município era um território com tradição de cultivo de café, o que era um limitante para a renda de muitas das famílias.

“Em 2009 e em 2010 houve várias tempestades que afetaram o município, e então grupos de mulheres, homens e jovens começaram a se organizar para fazer hortas caseiras e garantir a segurança alimentar, pois os grãos tinham se tornado escassos devido à perda causada pelas chuvas”, conta Ever Valle, vice-presidente da Canasta Campesina.

Agricultura resiliente

Ao unir forças, as famílias de agricultores fortaleceram suas habilidades de plantio, e em 2012, com o apoio do Socorro Popular Francês, foi realizado um projeto para reforçar a implementação de técnicas ligadas à Agricultura Resiliente. Posteriormente, nasceu a ideia de criar embalagens de alimentos para alavancar a comercialização. 

O projeto motivou algumas famílias camponesas que possuíam pequenas propriedades de terra a iniciarem uma produção diversificada de alimentos através de práticas e tecnologias de agricultura orgânica. 

Nasce a Canasta Campesina

Uma vez implementadas as práticas agroecológicas, foi formada a cooperativa Canasta Campesina. A cooperativa permite o trabalho em equipe, já que os produtores cultivam frutas e verduras de acordo com suas capacidades e extensões de terra. A ideia é reunir a colheita dos membros da equipe a fim de poder atender às exigências da clientela. 

Uma equipe inteira de mulheres, líderes sociais e jovens de diferentes comunidades está envolvida nos processos de cultivo. A Canasta Campesina é composta por 49 membros. 85% são mulheres e os 15% restantes são homens jovens até 29 anos de idade. Há também um grupo de 75 mulheres e jovens, que atuam como membros produtores e trabalham em propriedades ou jardins. 

O modelo de comercialização 

O modelo de comercialização da cooperativa permite que os alimentos sejam produzidos de acordo com a demanda dos clientes. Desta forma, a organização garante a venda dos produtos, sem excedentes, e assegura que cada um dos produtores receba uma renda econômica constante.

A Canasta Campesina vende os produtos a seus membros consumidores em cestas de diferentes tamanhos. O objetivo é reunir a colheita dos produtores e montar as cestas de pedidos. Existem, atualmente, 190 famílias registradas que se beneficiam dos produtos comercializados pela cooperativa. 

Devido às medidas de biossegurança, desde o advento da pandemia de Covid-19, a Canasta Campesina faz entregas domiciliares e no momento, a maioria dos clientes são funcionários de instituições localizadas na área metropolitana de San Salvador. 

A entrega pode ser semanal, quinzenal ou de acordo com a preferência dos compradores. Em termos de pagamento, os clientes pagam 50% do pagamento total no momento da entrega do pedido, enquanto os outros 50% do valor servem como um adiantamento, para que os produtores possam comprar materiais e investir em mão-de-obra. 

Vale ressaltar que o modelo de comercialização é uma proposta inovadora de compra e venda direta entre o produtor e o consumidor, sem intermediários, uma experiência única em El Salvador! 

As vantagens da produção orgânica

A produção orgânica permite aos agricultores cuidar do solo em que cultivam suas culturas, eliminando o uso de agrotóxicos, protegendo assim a natureza, a biodiversidade, as florestas, o meio ambiente e, sobretudo, a alimentação e a saúde dos consumidores que compram seus produtos saudáveis e frescos.

Além disso, para garantir o uso de componentes orgânicos, os fertilizantes são produzidos pelos membros da cooperativa utilizando compostos naturais, que podem ser baseados em esterco, microrganismos de montanha e outros materiais similares. 

Dois fertilizantes orgânicos preparados pelos membros da cooperativa são o bokashi, que pode ser produzido a partir de resíduos e esterco, e o composto, que é obtido a partir de um processo de fermentação de elementos orgânicos como folhas, resíduos de alimentos, resíduos de culturas e outras matérias orgânicas de origem vegetal e animal. 

Suporte técnico e treinamento

Com o passar do tempo, a agricultura orgânica aumentou e agora há técnicos que orientam os membros da cooperativa, o que permite o treinamento constante de seus membros e o intercâmbio de materiais para a preparação de fertilizantes. 

Através da Canasta Campesina, os processos de empoderamento das mulheres têm sido realizados e seu trabalho tem sido reconhecido. “Elas passam de donas de casa a protagonistas. A cooperativa procura tornar visível a contribuição que as mulheres dão à sociedade”, diz Fernanda Valladares, que é membro da cooperativa. 

A Canasta Campesina também fornece apoio financeiro e técnico a uma rede empresarial, onde instituições como o Ministério da Agricultura os convidam a participar de feiras e eventos, para promover seus produtos e ensinar processos agrícolas a outras instituições. 

Além disso, a cooperativa criou alianças com outros agricultores orgânicos que comercializam seus produtos através da Canasta Campesina. Assim, a cooperativa oferece uma maior variedade de produtos para atender a demanda dos consumidores.

Saiba mais sobre a produção e comercialização de alimentos saudáveis na Biblioteca DAKI

A iniciativa de produção e comercialização de alimentos saudáveis da Canasta Campesina é uma das 55 sistematizadas pelo projeto DAKI – Semiárido Vivo. 

O projeto selecionou experiências de agricultores resistentes ao clima de três regiões semiáridas da América Latina (Corredor Seco da América Central, Grande Chaco Americano e Semiárido Brasileiro).

Os materiais estão disponíveis na biblioteca em nosso site.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.