Tutoras do Programa de Formação em Agricultura Resiliente ao Clima
21 de setembro de 2022

Nos dias 14 e 15 de setembro, a equipe pedagógica do projeto DAKI – Semiárido Vivo Brasil, reuniu-se na cidade do Recife – PE para avaliação da Etapa Curso e planejamento da Etapa Território do 1º Programa de Formação em Agricultura Resiliente ao Clima

O encontro foi uma iniciativa do grupo de tutoras e tutores pedagógicos, responsáveis por acompanhar educandas e educandos nos estados do Semiárido brasileiro. 

Foi o momento de apontar os passos até aqui dados, de se ver no processo e como o grupo irá trabalhar até a finalização do curso. A Etapa Curso foi concluída e agora a missão é garantir a participação dos territórios.

Na programação, tivemos um momento de análise de conjuntura e trajetória da Articulação Semiárido Brasileiro (ASA), apresentado por Antônio Barbosa, coordenador do DAKI – Semiárido Vivo. Ele trouxe elementos em sua fala que dialogam com a realidade atual no Semiárido brasileiro e destacou a importância do processo de formação na trajetória de cooperação entre agricultores do sul global.

Leaticia Jali foi convidada para contribuir na avaliação. Como observadora externa, ela frisou o quão foi desafiador a construção do processo de formação e como foi importante contar com a criatividade e compromisso das tutoras e tutores pedagógicos para vencer os desafios.

O grupo que só se conhecia virtualmente, pôde se encontrar pessoalmente. O momento foi intenso e afetuoso, o que ficou nítido em cada abraço dado e recebido. A equipe de tutoras é formada por nove mulheres e dois homens. Um destaque nas falas do encontro foi para a garra e determinação destas mulheres, que fizeram de sua força combustível para animar os educandos durante a etapa curso.

O DAKI – Semiárido Vivo é um programa grandioso, o componente de formação foi uma novidade na trajetória da ASA, uma das entidades que coordena o projeto. A iniciativa é o 1º Programa de Formação em Educação à Distância (EAD), tendo como público uma diversidade agricultores/as e técnicos/as. Nos dois dias de evento, a equipe pôde sentir de perto a dinâmica de todo esse processo que vai além da formação, que ultrapassou as fronteiras do país e chegou em outros semiáridos.

O grupo de tutoras e tutores pedagógicos reúne-se semanalmente de forma virtual com a equipe de coordenação pedagógica do programa. Neste momento presencial se pode sentir o quão desafiador foi o trabalho de cada uma e cada um, as visitas de campo foram trazidas nas falas como elementos importantes e também difíceis levando em consideração a fragilidade das organizações referência envolvidas no projeto.

Nelzilane Oliveira | Tutora Pedagógica Ceará – Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.