Sabores de Corzuela: agregando valor às frutas locais

17 de novembro de 2022

“Sabores de corzuela” Uma marca criada por mulheres agricultoras que contribui para a soberania alimentar e geração de renda através da produção em grupo de conservas artesanais.

Em 2009, na província de Chaco (Argentina), foi lançada a marca Sabores de Corzuela,uma iniciativa das mulheres da Associação Civil “Unidos Minifundios de Corzuela” com base na produção e comercialização de doce de tuna  e outras frutas da mata chaquenha. 

A  iniciativa se baseia na produção agroecológica de frutas do mato, especialmente a tuna e na produção artesanal de produtos alimentícios, como geléias, e sua comercialização em escala local, estadual e nacional.

Sabores de Corzuela foi um dos casos sistematizados pelo Programa DAKI, e também fez parte da série web “Semiárido Vivo”.

Sabores de Corzuela e o protagonismo das mulheres

A experiência surgiu da Associação Civil “Unidos Minifundios de Corzuela” graças ao trabalho em rede e à coordenação de muitas instituições como INTA, INTI, Prefeitura de Corzuela, Ministério do Trabalho (Programa de Formação Profissional), Programa de Pequenas Doações PNUD-ONU, Programa Manos a la obra do Ministério Nacional de Desenvolvimento Social, entre outras.  

Desde o início desta experiência, as mulheres rurais têm desempenhado um papel central em todas as etapas do processo. Atualmente, eles têm mais de 20 plantações de tuna, uma fábrica de processamento de produtos, e cerca de 15 mulheres e 6 jovens dedicados a esta experiência. 

poder el link del youtube em PT

Organização e comercialização

Duas fases específicas de trabalho podem ser distinguidas: por um lado, o processo organizacional da associação e o de marketing com o objetivo de transformar o produto para que ele possa ser industrializado e gerar empregos e renda. 

Processo organizacional para a produção agroecológica de tunas

Em 2016, foi criada a primeira sala comunitária para processar e preparar conservas caseiras com o excedente de frutas e vegetais locais da província do Chaco, utilizando o método APPERT, que não utiliza conservantes e nem aditivos artificiais, garantindo que as conservas não percam suas propriedades nutricionais.

Durante este processo, são desenvolvidas uma série de etapas que incluem: testes e seleção das espécies de tuna a serem cultivadas; produção e colheita; gerenciamento de marcas e licenças para produção agroecológica; tratamento da tuna na sala de processamento; embalagem e logística para sua comercialização.

Esta estratégia permitiu ao grupo de mulheres contribuir para a soberania alimentar e a geração de renda através da produção em grupo de conservas artesanais e acabou gerando a criação da marca coletiva “Sabores de Corzuela”. 

Rumo à expansão da comercialização de produtos de arbusto

A experiência é realizada passo a passo como se segue:

Criação de uma associação de pequenos produtores;

Treinamento agroecológico e tecnoprodutivo;

Produção de tunase legumes agroecológicos em larga escala;

Geração de uma produção agroindustrial artesanal de produtos alimentícios agroecológicos;

Comercialização seus produtos nas escalalocal, estadual e nacional através de compras públicas e participação em feiras e espaços de venda.

Algumas conquistas das mulheres de  Sabores de Corzuela

Foi criada uma pequena agroindústria administrada por mulheres, que atualmente produz cerca de 40.000 geléias de frutas por ano. 

Esta iniciativa gera renda tanto para a associação quanto para as mulheres envolvidas no processo de produção. Vale ressaltar que elas têm todas as autorizações e registros necessários para a comercialização, de acordo com as regulamentações locais. 

Além disso, elas conseguiram desenvolver sua própria marca que fornece alimentos saudáveis e naturais de alto valor nutricional, contribuindo para a segurança alimentar da comunidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *