3 de setembro de 2021

O Banco de Imagens do Projeto DAKI – Semiárido Vivo (DAKI SV), uma iniciativa de cooperação sul-sul e gestão do conhecimento sobre agricultura resistente ao clima, foi lançado há pouco mais de um mês.

O banco de imagens reúne retratos de diferentes agricultores, povos indígenas e comunidades tradicionais das 3 regiões secas da América Latina, que fazem parte do projecto, bem como as suas paisagens e ambientes.

Para um acesso fácil, foi utilizada a plataforma FLICKR: uma rede social que permite aos utilizadores armazenar, encomendar e partilhar fotografias de alta qualidade em linha.

O banco tem actualmente 182 fotografias organizadas em diferentes álbuns para facilitar a pesquisa por tema. Entre elas podemos encontrar imagens relacionadas com: Técnicas agrícolas, criação de animais, armazenamento e gestão de água, processos organizacionais, paisagens e retratos de produtores masculinos e femininos da região.

Nos nomes dos ficheiros de imagem individuais, também encontrará detalhes da região e do fotógrafo para que possa fazer referência ao seu trabalho se utilizar as imagens.

Esperamos que possa ser um lugar de referência para contar a história da região!

O DAKI Semiárido Vivo é um projeto que promove o intercâmbio de conhecimentos entre agricultores familiares, comunidades tradicionais, povos indígenas e técnicos de organizações sociais e governamentais que trabalham no Semiárido brasileiro, no Chaco argentino e no Corredor Seco de El Salvador.

Este intercâmbio será desenvolvido através de programas de formação cujo material pedagógico incorporará os conhecimentos, experiências e aprendizagem locais das pessoas que vivem em regiões áridas, bem como os conhecimentos de pesquisadores em agricultura resiliente ao clima.

DAKI SV é o resultado de uma parceria entre duas grandes redes de organizações da sociedade civil que atuam em terras secas na América Latina – Articulação Semiárido Brasileiro (ASA) e Plataforma Semiáridos – e o Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA).

No Brasil, o projeto é implementado pela Associação Programa Um Milhão de Cisternas. Na Argentina, pela Fundação para o Desenvolvimento da Justiça e da Paz (FUNDAPAZ). Em El Salvador, o projeto é implementado pela Fundación Nacional para el Desarrollo (FUNDE).

Link para o banco de imagens: https://www.flickr.com/people/[email protected]/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.