22 de julho de 2021

No dia 5 de julho de 2021, a Fundação Nacional para o Desenvolvimento (FUNDE) e a Faculdade de Ciências Agronômicas da Universidade de El Salvador (UES) assinaram um acordo de entendimento e cooperação técnica no âmbito da Iniciativa de Conhecimento sobre Adaptação de Terras Secas (DAKI, na sigla do nome em inglês). Esta iniciativa é apoiada pelo Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) e seu principal objetivo é desenvolver capacidades institucionais para ajudar as três regiões de terras secas da América Latina a adaptarem-se às mudanças climáticas.

Dentro da proposta do projeto DAKI Semiárido Vivo, a contribuição técnica e científica das universidades e centros de pesquisa será integrada ao conhecimento popular sobre a agricultura resistente ao clima que pertence aos agricultores e povos nativos que sempre viveram nestas regiões secas do continente.

O acordo foi assinado pelo Dr. Francisco Lara, reitor da Faculdade de Ciências Agronômicas da UES, Roberto Rubio Fabián, diretor executivo da FUNDE, e Ismael Merlos, coordenador do DAKI Semiarido Vivo para o Corredor Seco da América Central.

Com a parceria, espera-se que os professores da Faculdade de Agronomia possam participar do desenho pedagógico e metodológico do programa de formação do DAKI, que beneficiará a comunidade universitária com informações que promovam o estudo de questões relacionadas à agricultura resistente. Além disso, os estudantes terão a oportunidade de participar de intercâmbios de experiências em nível regional e poderão propor tópicos relacionados em seus trabalhos de graduação e tese.

Sobre o DAKI Semiarido Vivo – É uma iniciativa desenvolvida nas regiões secas do Brasil, Chaco (Argentina e Paraguai) e no Corredor Seco da América Central (El Salvador, Honduras, Guatemala e Nicarágua). O projeto promove a construção de sinergias entre organizações de agricultores, mulheres, jovens, povos indígenas e instituições públicas e de cooperação, com o objetivo de compartilhar conhecimentos e experiências e incentivar o aprendizado mútuo e o desenvolvimento de uma agricultura resistente ao clima.

O projeto se concentra em atividades de gestão do conhecimento através da sistematização de experiências inovadoras em agricultura resistente ao clima, treinamento de agricultores e técnicos, troca de experiências, disseminação e cooperação sul-sul.

O DAKI Semiárido Vivo é uma ação articulada por duas grandes redes de organizações da sociedade civil: a Articulação Semiárido (ASA), que congrega mais de três mil instituições sociais nos 10 estados do Semiárido brasileiro, e a Plataforma Semiáridos, que envolve 13 instituições representativas de 8 países da América Latina.

O projeto é implementado nas rês regiões do continente por organizações âncoras, a Associação Programa Um Milhão de Cisternas (P1MC) do Brasil, a Fundação para Desenvolvimento do Desenvolvimento em Justiça e Paz (FUNDAPAZ) da Argentina, e a Fundação Nacional para o Desenvolvimento (FUNDE) de El Salvador.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.